É importante aprender novas habilidades ao longo de sua vida – isso mantém sua mente ágil e o torna mais competitivo no mercado de trabalho.

Mas algumas habilidades são mais difíceis de aprender do que outras, especialmente aquelas que pequenos erros podem custar muito tempo e causar problemas inconvenientes quando você ainda está tentando aprender.

Inclusive, esse erro pode ser determinante para você “largar tudo” e “deixar para depois”, desistindo de aprender Linux.

APRENDER LINUX

Erros sempre irão ser cometidos. Faz parte do processo de aprendizagem, independente em qual curva do conhecimento esteja. Por exemplo, se você está acostumado a trabalhar em uma interface gráfica do Windows ou MacOS, mudar para o Linux, com seus comandos não familiares digitados em um terminal, pode ter uma grande complexidade para você.

Mas, se não desiste nesses pequenos obstáculos, as recompensas valerão a pena. Pois, muitas outras pessoas tiveram as mesmas ou outras dificuldades antes de você, e provavelmente, estão usando o Linux de alguma maneira, seja no trabalho ou no cotidiano.

Diante disso, digo que o percurso não será fácil e nem impossível, pois são dos erros que você deve ter convicção que o aprendizado está sendo provado. Portanto, compartilho com você alguns erros mais comuns que todo usuário Linux cometeu ao começar aprender Linux. Espero que ajude :)

ERROS MAIS COMUNS

1. Executar comandos sem conhecê-los

Além do risco de comprometer parte do sistema ou perder algum arquivo/configuração importante, você tende a ficar frustado com a falta de êxito ao tentar executar o comando.

Imagine você tentando uma busca textual no sistema usando o comando find! Por não ter noção completa da estrutura do comando, você, provavelmente, não terá o resultado esperado, colocando em dúvida o comando executado e ainda ficará relutante com alternativas, sejam gráficas ou via terminal.

Daí, também, vem o preconceito que o terminal é difícil. Pois, se você atropela o processo de aprendizado tudo fica mais complexo :/

2. Copiar, colar e executar comandos sem devidos cuidados

Pegando gancho com o primeiro erro, esse se resume aos “apressados de plantão” – é proativo, pesquisa em fóruns e encontra o que precisa. Contudo, não verifica a estrutura básica do comando e tem o risco de algo dar errado.

Por isso, leia o comando primeiro e pelo menos tenha uma compreensão geral das ações que estão prestes a serem executadas. Especialmente se houver um comando de pipe. Se houver mais de um, existem muitos comandos “perigosos” que parecem inofensivos até você perceber o que eles podem fazer (por exemplo, rm , dd ) :/

Então, não conhecer o comando que você deseja executar culmina numa cadeia de problemas, mesmo para um usuário dito “avançado” – desde a frustração ao erro comprometedor.

3. Não se preocupar com a dependência de pacotes e suas fontes

Quem nunca removeu um pacote do sistema e não verificou de que outros pacotes ele dependia? Apenas remover o que vem selecionado, por padrão, acaba fazendo com que alguns dos seus programas importantes falhem e fiquem indisponíveis.

Quando se estar começando, instalar, remover e atualizar pacotes é uma tarefa desapercebida, pois os grandes gerenciadores de pacotes existentes nos sistemas Linux, como apt, yum, pacman, dnf e outros; atendem muito bem suas “obrigações”. Contudo, eles não conhecem suas necessidades. Por isso, é fundamental que a mensagem informativa, com todos os pacotes que serão afetados, na instalação, remoção ou atualização, seja lida com cuidado; antes de confirmar (y/N) a operação.

4. Usar o modo super-usuário “para tudo”

Para quem faz isso, parece evitar o retrabalho de informar o “sudo” e suas credencias toda vez que precisar. Tem gente que aumenta o tempo para ele solicitar a senha, dado uma vez informada no passado.

Contudo, esses mecanismos de mudança de modos de usuários são o segredo do sucesso dos sistemas Linux. O risco para se executar tudo em modo super-usuário (sudo), ou como root, é altíssimo. Para quem está começando, executar um comando nesses modos causam super exposições do sistema, podendo remover ou alterar um arquivo importante, sem ser alertado do risco, por exemplo.

5. Conceder permissão completa “para tudo e todos”

Depois que se aprende as permissões em sistema de arquivos Linux, parece que o descuido aumenta. Quem nunca teve um problema e encontrou na internet como solução sendo “problema de permissão”? Daí, você concede a famosa permissão “777” :/

Primeiro, não existe “problema de permissão”. O controle de acesso via permissões é uma solução. O que acontece é o uso das permissões erradas no arquivo, em questão. Por isso, o correto é encontrar permissões adequadas para aquele arquivo ou pasta.

Existem permissões que deve ser concedidas somente para o dono do arquivo. Outras para o grupo e outros, e permissões somente de execução e não de escrita. Cada nuance dessas põe em risco a segurança do seu sistema, principalmente se feito em um recurso protegido pelo modo super-usuário :/

Assim, diante desses erros muito comuns, que erros você cometeu enquanto aprendia a usar o Linux? Compartilhe-os nos comentários.